28.3.11

 

Aqui está a minha nova aquisição: parece um ovo mas não é um ovo...

 

 

Xaran! Malta, apresento-vos o cuco! (foto de perfil)

 

 

Foto quase tipo passe e com a mão esquerda da artista para se ter noção da pequenês do passaroco.

 

 

Por último, o cuco na sua nova casa. Pena é que não consiga lá entrar por ser um pouco p'ró badocha (talvez daí a expressão infeliz).

link do postPor ninices, às 12:28  comentar

23.3.11

 

 

Estes foram os presentes que fiz para assinalar o Dia do Pai e, as always, vem sempre uma história a rechear ainda mais o dito cujo. 

Dias antes deste evento, e já depois de ter terminado a casinha, avisei o miúdo que o pai iria tentar saber o que tinha preparado e que não poderia dizer nada. Era um segredo que tinha que guardar até ao dia da entrega.

Isto foi o que aconteceu:

"Então, já tens a tua prendinha para o papá?", perguntou o pai.

“Sim.  É um cuco, mas eu não disse nada...", disse o miúdo sussurrando.

Ora, aqui está uma estratégia para apagar o que foi dito caso o segredo seja revelado após intenso interrogatório!

Acontece aos melhores.

Parabéns aos pais!

 


10.3.11

 

Desta vez, para mudar um pouco de arte dediquei-me à culinária - mais concretamente aos bolos festivos.

A escolha dos tecidos... ou antes, dos sabores foi muito fácil: chocolate, morango e nata - os meus preferidos!

E isto tudo porquê? Porque, pelo menos, este fica mais bonito (não conseguiria fazer um "verdadeiro" com tanta precisão), não tem açúcar, não pesa na balança e pode ser utilizado várias vezes, por várias pessoas, assinalando um ou mais eventos importantes.  

Portanto, e para quem estiver interessado, aqui deixo uma sugestão para um dia festivo, ficando os "sabores" ao gosto de cada um (bolinhas, riscas, quadradinhos, bonecos e muitos mais).

Dado a inspiração para fazer bolos-que-se-comem-só-com-os-olhos ter vindo delas, dedico este bolo às minhas professoras do ginásio: Cristina e Vanessa!

Espero que gostem!

 

 


9.3.11

 

Depois do desafio lançado no post anterior e de alguns palpites (uns mais ao lado que outros) aqui revelo, então, o números de flores que preencheram o abajur: trrrrrrrrrrrr (rufo do tambor) ... 117!

Neste conjunto de fotos apresento uma possível escolha para a base do candeeiro (em metal ou com pé alto também fica bem) para aqueles que não têm o poder de abstracção tão apurado poderem ver o resultado final.

Como já mencionei anteriormente, esta é apenas uma escolha. Cada cor ou conjunto de cores para as flores ou mesmo outro formato de abajur dará um efeito completamente diferente.

 

link do postPor ninices, às 16:05  comentar

3.3.11

 

"Mamã: o nosso chapéu das flores já está pronto?". Esta foi a pergunta que ouvi durante o tempo de execussão deste abajur.

Primeiro, pensei no tipo de candeeiro que gostaria: talvez todo preto... ou todo branco... ou talvez preto e branco. Não! Tem que ter cor para ver como cada uma se revela neste tipo de trabalho. Está decidido: terá todas as cores e será um abajur tipo arco-íris!

Agora é só fazer as flores! SÓ? Adivinham exactamente quantas flores é que ali estão? Posso-vos adiantar que, se trabalhasse ininterruptamente, demoraria 2 dias e meio desde que começo a fazer a 1ª flor até que aplico a última.

Fico à espera de palpites para ver se alguém acerta. ;)


 

     

   

 

Grupos do Google
SEJA O PRIMEIRO A SABER
E-mail:
Visitar este grupo
comentários recentes
Olá Jana. A argola metálica do chaveiro entra na ...
Só não entendi como é que funciona o porta-chaves....
Obrigada Vanessa!Beijinhos e até 3ª! :D
Espetacular!Como sempre!
Obrigada pelo incentivo Rosa!Para a semana (sem fa...
Não tens de agradecer! Continua com as tuas ideias...
Sofia,De facto, quando idealizamos uma peça e depo...
Olá, estava a dar uma vista de olhos com mais calm...
Tu e o rosa... O Helder sabe disso...? hehehe!A pe...
Hello!Gosto.Sabes que eu e o rosa...A peruca vem i...
subscrever feeds